Buenos Aires Histórica: Passeio Monserrat

Este passeio faz parte dos recorridos “Buenos Aires Histórica”. Em suas esquinas praças e edifícios estão ou tesouros da história portenha. O período colonial, as invasões inglesas, os ideais de organização nacional e progresso que formam a identidade da cidade. Não tem nada como recorrer o centro portenho.

Monserrat

É a região mais antiga de Buenos Aires. Em 1580 aqui se estabeleceram os primeiros espanhóis. Ao redor da Praça de Mayo estão concentrados os principais edifícios públicos, bancos, escritórios, museus e as sedes do Poder Executivo Nacional e do Governo portenho.

Sugestão de Recorrido em Monserrat (Centro)

Segue sugestão de recorrido pelo bairro de Monserrat. O passeio completo é longo, ao final da postagem deixo um resumo dos lugares mais interessantes caso você não tenha muito tempo.

Passeio Centro Buenos Aires

1. PRAÇA “DE MAYO”

Rua Bolivia, Av. Rivadavia, Rua Balcarce e Av. Hipólito Yrigoyen

É a primeira praça pública da cidade, construída em frente ao Cabildo, em um espaço definido por Juan de Garay em 1580. Seu nome relembra a Revolução de 25 de maio de 1810, quando os portenhos se uniram para expulsar o vice-rei e formar o primeiro governo “criollo” (formado por descendentes de espanhóis nascidos na América). A Pirâmide de Maio foi construída na praça em 1811 como comemoração do Revolução. Em 1873 adicionou-se o monumento em homenagem ao general Manuel Belgrano, o criador da bandeira nacional.

Praça de Maio

2. PALÁCIO DE GOVERNO OU CASA ROSADA

Rua Balcarce, 50

Este palácio, sede do governo nacional, ocupa o terreno onde foi erigido o Forte de Buenos Aires, em 1580. Foi residência dos vice-reis espanhóis e abrigou as autoridades dos sucessivos governos nacionais. O edifício atual é fruto da fusão de duas construções anteriores: o Palácio dos Correios e a antiga sede presidencial. Durante o governo de Domingo Faustino Sarmiento (1868-1874). Foi pintado pela primeira vez de cor de rosa, cor que lhe valeu seu nome popular.

Dica: Nos fins de semana e feriados, das 10:00h às 18:00h, é possível realizar visitas guiadas gratuitas pela Casa Rosada. Faça sua reserva em visitas.casarosada.gob.ar

3. CATEDRAL METROPOLITANA

Rua Rivadavia esq. com Rua San Martín

É a principal sede da Igreja Católica argentina e foi declarada Monumento Histórico Nacional. O edifício que vemos hoje é a sexta construção realizada no terreno desde a segunda fundação da cidade. Em 1752 começou a construção da estrutura atual, à qual foi adicionada uma fachada de estilo neoclássico em 1822 e a ornamentação na parte frontal, em 1860. Em 1877 acrescentou-se uma nave lateral que abriga o mausoléu do general José de San Martín (1778- 1850), o libertador da Argentina, do Chile e do Peru.

Catedral Metropolitana

Dica: Na Catedral funciona um museu em homenagem ao Papa Francisco. Nele estão expostos os objetos pessoais e litúrgicos que utilizou durante os 15 anos em que foi arcebispo de Buenos Aires.

4. CABILDO DE BUENOS AIRES

Rua Bolívar, 65

Foi a sede da administração colonial, construída em 1580. Com o desenvolvimento das avenidas, sofreu uma série de modificações e reduções. Desde 1938 funcionam nele a Comissão Nacional de Museus, Monumentos e Lugares Históricos e o Museu Histórico Nacional do Cabildo de Buenos Aires e da Revolução de Maio.

5. PALÁCIO DO GOVERNO

Rua Bolívar, 1

É a ex sede do Poder Executivo do governo da cidade de Buenos Aires, construída entre 1891 e 1902. Seu estilo é academicista francês com elementos italianos.

6. PALÁCIO LEGISLATIVO DA CIDADE DE BUENOS AIRES

Rua Perú esq. com Rua Hipólito Yrigoyen

Neste edifício inspirado no neoclassicismo francês do século XVIII funciona o Poder Legislativo da cidade. Construído entre 1926 e 1931, possui uma torre de 97 metros de altura com um relógio Westminster de quatro esferas e um carrilhão de trinta sinos que pode ser acionado por meio de um teclado de madeira. O Palácio Legislativo (La Legislatura) possui uma biblioteca especializada em direito e jurisprudência argentina e uma hemeroteca que guarda as publicações mais importantes do país desde 1892.

7. ANTIGA SEDE DO CONGRESSO NACIONAL

Rua Balcarce, 139

Neste edifício as as câmaras de Deputados e Senadores realizaram suas sessões entre 1864 e 1905. Sua parte exterior foi reformada, mas por dentro conserva a tribuna e o mobiliário originais. Atualmente abriga a Academia Nacional de História. Em 1948, as salas de reuniões do antigo Congresso Nacional foram restaurados pelo arquiteto Estanislao Pirovano.

8. MUSEU “CASA ROSADA”

Av. Paseo Colón, 100

No mesmo local funcionava anteriormente a Aduana Taylor (Alfândega Taylor), coração do porto de Buenos Aires. Em 2011 a construção foi restaurada e recuperada para abrigar o Museu do Bicentenário, um percurso pela história argentina de 1810 até a atualidade.

Museo Casa Rosada

9. MUSEU “DE LA CIUDAD”

Rua Bolívar, 412

Criado em 1968, conserva e divulga o patrimônio cultural e os costumes dos portenhos. Suas coleções integram os mais variados objetos: fotografias, elementos de arquitetura, móveis, revistas e outros elementos da vida cotidiana. Está formado por vários edifícios, entre eles o Altos de Elorriaga e o Altos de Ezcurra, duas das residências mais antigas da cidade.

10. QUARTEIRÃO DE LAS LUCES

Rua Perú, Rua Alsina, Rua Bolívar e Moreno

Em 1633 instalaram-se neste solar os padres jesuítas que, até sua expulsão em 1767, ergueram diversos edifícios, principalmente com funções educativas e culturais. O nome Quarteirão das Luzes faz referência aos estabelecimentos educativos e culturais de grande importância que funcionaram aqui durante séculos. Estas edificações estão entre as mais antigas ainda preservadas na cidade. Por baixo deste quarteirão passam túneis subterrâneos construídos na época colonial para defesa e contrabando que podem ser visitados.

11. COLÉGIO “NACIONAL DE BUENOS AIRES”

Rua Bolívar, 263

O colégio um dos estabelecimentos secundários de maior prestigio da cidade. Depende da Universidade de Buenos Aires. Seu edifício atual é um projeto do arquiteto francês Norberto Maillart e data de 1918.

12. MONUMENTO A JULIO ARGENTINO ROCA

Av. Pte. Julio Argentino Roca esq. com Rua Perú

Julio Argentino Roca (1843-1914) foi ministro da guerra durante a presidência de Nicolás Avellaneda, cargo com o qual comandou a campanha militar conhecida como a Conquista do Deserto, e presidente da república em dois períodos, de 1880 a 1886 e de 1898 a 1904. É obra do escultor uruguaio José Zorrilla de San Martín e foi inaugurado em 1941.

Momumento Julio Argentino Roca

13. MUSEU ETNOGRÁFICO “JUAN B. AMBROSETTI”

Rua Moreno, 350

Fundado em 1904, funciona nesta sede desde 1927. Seu nome é uma homenagem ao seu primeiro diretor, pioneiro na realização de expedições arqueológicas na Argentina.

14. IGREJA “SAN IGNACIO DE LOYOLA”

Rua Bolívar, 225

É a igreja mais antiga conservada em Buenos Aires. Começou a ser construída em 1686 sobre os muros de um templo preexistente e foi a primeira edificação na qual foram utilizados tijolos em lugar de adobe. A obra, realizada por arquitetos jesuítas, foi consagrada em 1734.

iglesia san ignacio de loyola

15. BASÍLICA “NUESTRA SEÑORA DEL ROSARIO” E CONVENTO DE “SANTO DOMINGO”

Av. Belgrano esq. com Rua Defensa

Este templo católico, construído em meados do século XVIII e declarado Basílica em 1909, foi cenário da segunda invasão inglesa ao ser tomado pelos soldados britânicos. Atrás do altar da nave lateral leste, são exibidas as bandeiras tomadas das tropas britânicas em 1807. No átrio encontra-se o mausoléu que guarda os restos do herói Manuel Belgrano desde 1903, no qual se destacam as grades de estilo colonial espanhol. Também são exibidos dois emblemas que Belgrano tomou do exército realista espanhol e que depois deu como oferenda à Virgem Maria.

16. IGREJA E CONVENTO DE “SAN FRANCISCO” E CAPELA “SAN ROQUE”

Rua Defensa esq. com Rua Alsina

Este edifício foi construído entre 1730 e 1754. Em 1911 sua fachada foi totalmente refeita e passou a ter o estilo barroco bávaro atual. As imagens de madeira policromada conservadas no interior do templo datam do século XVIII. Sua impressionante peça de tapeçaria “A glorificação de São Francisco” é uma criação de Horácio Butler, considerada uma das maiores do mundo. Foi a primeira igreja dos franciscanos, a ordem fundada por São Francisco de Assis. Deste santo, tomou o nome Jorge Bergoglio como símbolo e guia do seu pontificado.

17. PLAZOLETA DE “SAN FRANCISCO” (PRACINHA DE SÃO FRANCISCO)

Rua Adolfo Alsina, 399

Nela há quatro figuras alegóricas: a Geografia, a Astronomia, a Navegação e a Mecânica, que originalmente faziam parte da Pirâmide de Maio e que, em 1972, foram transferidas para esta pequena praça.

18. BANCO DA NAÇÃO ARGENTINA

Rua Rivadavia esq. com Rua 25 de Mayo

Entre 1857 e 1888 funcionou neste endereço o primeiro Teatro Colón. Em 1891, diante de uma crise do sistema financeiro, o governo nacional fundou o banco para apoiar os agricultores e pecuaristas com capital estatal. O edifício atual, obra do arquiteto Alejandro Bustillo, com sua fachada de pedra, pisos de granito e paredes revestidas com mogno e cedro, foi inaugurado em 1944.

Banco de La Nación Argentina

Dica: Os bancos da cidade atendem ao público de segunda a sexta, das 10:00h às 15:00h.

19. CASA DE LINIERS

Rua Venezuela, 469

Nesta casa morou, entre 1806 e 1809, Santiago de Liniers, o penúltimo vice-rei do Rio da Prata. A construção data de 1788 e é uma das moradias mais antigas ainda em pé na cidade. Hoje funciona como sede da Secretaria Geral de Patrimônio e do Instituto Histórico do Governo da Cidade.

20. ANTIGA SEDE DA BIBLIOTECA NACIONAL

Rua México, 564

A Biblioteca Nacional foi criada em 1810 pelo primeiro governo nacional. A construção de estilo Beaux-Arts foi obra do arquiteto italiano Carlos Morra. Aqui, entre 1955 e 1973, o escritor Jorge Luis Borges ocupou o cargo de Diretor da Biblioteca Nacional.

21. ANTIGA “CASA DE LA MONEDA”

Rua Defensa esq. com Rua México

Em 1775 foi criada neste endereço a Casa da Moeda para a impressão de notas, selos fiscais e selos postais. O edifício de estilo italiano foi inaugurado em 1881 e abrigou a instituição até 1944.

22. CASA DE LA CULTURA

Av. De Mayo 575

Um dos edifícios mais suntuosos da cidade foi inaugurado em 1898. Até 1990 foi sede do jornal La Prensa, fundado por José C. Paz. Declarado Museu Histórico Nacional por seu valor histórico e arquitetônico, atualmente é a sede do Ministério de Cultura da Cidade e lugar onde são realizados diversos eventos culturais, desde exposições de pintura e espetáculos até conferências e congressos.

Casa de la Cultura

Dica: Você pode conhecer a Casa da Cultura e o Salão Dourado numa visita guiada de uma hora. Todos os sábados às 16:00h e domingos de 11:00h a 16:00h, saindo da Rua (calle) Bolívar.

23. MONUMENTO A DOM QUIXOTE

Av. de Mayo esq. com Rua Lima. Pracinha Província de Misiones.

Obra do escultor andaluz Aurelio Teno em homenagem ao protagonista da obra de Miguel de Cervantes Saavedra. Chegou a Buenos Aires em 1980 como presente do governo espanhol pelo 400º aniversário da cidade.

24. HOTEL “CASTELAR”

Av. De Mayo, 1152

Este edifício de 1929 é um dos hotéis mais tradicionais de Buenos Aires. Ele possui uma mística especial por ter sido a acomodação escolhida pelo poeta espanhol Federico García Lorca como sede da feira literária El Signo, que reuniu escritores e artistas, como Jorge Luis Borges, Norah Lange, Oliverio Girondo, Emilio Pettoruti e Lino Spilimbergo.

25. PRAÇA “DEL CONGRESO”

Av. Rivadavia, Av. Entre Ríos, Ruas Luis Sáenz Peña e Hipólito Irigoyen.

Praça projetada por Carlos Thays, o paisagista francês responsável pelos espaços verdes mais importantes da cidade. Foi inaugurada durante os festejos do Centenário da Revolução independentista de maio de 1810. Nela está o Monumento aos Dois Congressos, que evoca a Assembléia de 1813 e o Congresso de Tucumán de 1816, no qual foi declarada a independência nacional.

Plaza del Congreso

26. ACADEMINA NACIONAL DO TANGO

Av. De Mayo, 833

Criada em 1990 e presidida pelo poeta e letrista Horacio Ferrer, a Academia abriga, além dos escritórios administrativos, o Museu Mundial do Tango, uma galeria de arte, o Liceo Superior e salões nos quais são ministradas aulas de dança.

27. PALÁCIO “BAROLO”

Av. De Mayo, 1370

Até a construção do Kavanagh, este majestoso edifício de 100 metros de altura, inaugurado em 1923, foi o arranha céu mais alto de Buenos Aires. Em seu 22º andar possui um farol giratório de 300.000 velas. A obra foi encomendada pelo imigrante italiano Luis Barolo ao seu compatriota Mario Palanti. Ambos eram admiradores de Dante Alighieri e na ornamentação do edifício observam-se claras referências à Divina Comedia, como a divisão geral do projeto em três partes, que correspondem ao inferno, purgatório e céu da obra.

Palacio Barolo

O Palacio Barolo possui um edifício gêmeo em Montevidéu, Uruguai, criado pelo mesmo arquiteto. É o Palácio Salvo, inaugurado em 1928.

28. TEATRO “LICEO”

Av. Rivadavia, 1495

É o mais antigo dos teatros portenhos. Foi inaugurado em 1872 com o nome de El Dorado e teve diversas denominações até adotar a atual em 1918. Em 2006 foi integralmente restaurado, conservando a estrutura e os materiais originais.


Esses são os pontos de interesse do passeio centro (Monserrat). Aqui deixo dentre esses pontos turísticos os mais importantes, que é útil caso você faça uma viajem curta e não tenha tempo para passar por todos eles:

  • PRAÇA “DE MAYO”
  • PALÁCIO DE GOVERNO OU CASA ROSADA
  • CATEDRAL METROPOLITANA
  • MUSEU “CASA ROSADA”
  • PRAÇA “DEL CONGRESO”

Guia Buenos Aires

Se você deseja informações atualizadas e de primeira mão reunidas de forma prática em um Guia feito exclusivamente para brasileiros talvez você queira dar uma olhada em nosso Guia completo, acesse: Guia de Buenos Aires para Brasileiros

Artigos relacionados...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *